A importância da documentação fotográfica nos procedimentos estéticos e cirúrgicos

Tempo de leitura: 8 minutos

A documentação fotográfica é um recurso cada vez mais utilizado em procedimentos estéticos e cirúrgicos. Ela figura como evidência fundamental diante de processos jurídicos que envolvem indenizações, principalmente no que diz respeito à cirurgia plástica.

Entretanto, seu uso não se restringe às burocracias processuais. Mais importante que isso, ela representa uma ferramenta inovadora no planejamento da conduta cirúrgica, ilustrando ao paciente e ao médico os resultados obtidos após a realização do procedimento.

Pensando nisso, abordaremos neste post como a fotografia se insere no cotidiano de clínicas e consultórios, bem como a metodologia utilizada na prática e os benefícios proporcionados por esse recurso. Continue a leitura!

Qual a importância da documentação fotográfica?

O prontuário do paciente é composto pelos seus dados pessoais básicos e pelas informações relacionadas ao quadro de saúde. Assim, é possível encontrar nele as queixas principais, a história clínica atual e pregressa, as hipóteses diagnósticas e as condutas para o caso.

Além disso, o recurso visual também pode ser incluído nessa documentação, representado, por exemplo, por exames de imagem e fotografias. Entrando apenas no âmbito fotográfico, a utilização desse recurso é primordial para procedimentos estéticos, uma vez que ilustra o caso clínico antes e depois da cirurgia.

Desta forma, não apenas o médico, mas também o paciente, podem se munir do uso das imagens, as quais indicam se a conduta escolhida reproduz de fato, o resultado almejado durante o planejamento cirúrgico.

Outra justificativa costumeira para sustentar essa prática é a segurança garantida a ambas as partes envolvidas no processo. Em situações nas quais a Justiça é acionada, as fotografias representam documentação comprobatória, servindo como recursos legais nas evidências do processo.

Isso é possível por assegurar a possibilidade de comparação entre o pré e o pós-operatório. Assim, os resultados obtidos retratam a eficácia de um tratamento ou protocolo seguido pelo médico, sendo vital ainda para o aprendizado dos profissionais e melhoria nas técnicas utilizadas.

Como ela é inserida no contexto jurídico?

Antes de tudo, é preciso elucidar as motivações que levam o paciente a acionar a Justiça. Algumas das principais razões se associam à insatisfação com o resultado ou cicatrização do procedimento, o que pode ser evitado ao atentar para alguns detalhes que explicaremos a seguir.

Analise o perfil do paciente

Procure conhecer as dificuldades e anseios dos pacientes antes de determinar tratamentos específicos. Alguns deles desejam melhorar a sua aparência devido ao desempenho profissional, como, por exemplo, recepcionistas ou profissionais de marketing. Outro caso comum é o de pessoas que pensam que aparentam ter mais idade do que realmente têm e querem que a pele fique com aparência saudável.

Porém, há pacientes com necessidades emocionais e que acreditam estar desamparados, e que, por isso, procuram um profissional para melhorar e apostam todas as expectativas em procedimentos estéticos. Alguns desses pacientes podem passar por problemas psiquiátricos e estarem sempre insatisfeitos, aumentando as chances de desaprovação do resultado de um tratamento ou cirurgia.

Nesses casos, o sucesso do médico cirurgião pode ter mais a ver com os pacientes que ele recusou do que os que aceitou.

Faça uma seleção

Avalie os objetivos do paciente antes de realizar o tratamento. Verifique aspectos como idade, expectativas, procedimento mais indicado e possíveis complicações. Aconselhe-o de maneira adequada, inclusive se for interessante uma consulta de psiquiatria, pois a relação entre médico e paciente deve ser baseada na confiança.

Analise os tratamentos já realizados, bem como os resultados que eles produziram. Converse com os familiares dos pacientes e evite aqueles que já fizeram vários procedimentos e relatam insatisfação. Verifique também se já ocorreram ações judiciais anteriores ou ameaças a outros especialistas.

Termo de consentimento

O termo consentimento informado (TCI) é indispensável por razões legais e éticas. Conte com a presença de uma testemunha e inclua nele informações sobre condições, necessidades, modalidades de tratamento, tempo de duração, resultados esperados, número de seções e efeitos colaterais. Mande confeccionar folhetos com dados abrangentes e objetivos sobre os procedimentos específicos.

Pré-procedimento

Realize investigações de pré-procedimento de acordo com a avaliação clínica, tais como teste de gravidez, ECG, glicemia aleatória, hemograma completo, perfil de coagulação, entre outras. Registre um relato detalhado dos procedimentos estéticos já realizados. Observe o histórico médico no que diz respeito à queloides, diabetes, distúrbios do tecido conjuntivo, cicatrização etc.

Diante das acusações, a equipe médica deve estar munida de documentação que resguarde sua integridade na ação judicial. Muitas vezes, os registros apresentados são incompletos ou desprovidos de qualidade. Desta forma, a perícia é impossibilitada de analisar corretamente as evidências mostradas, prejudicando, portanto, a resolução do caso.

Pensando nisso, ao optar pela utilização de fotografias no dia a dia clínico, é fundamental atentar-se também à maneira como elas serão realizadas. Consequentemente, é necessária a padronização dos métodos usados no momento das capturas.

Quais requisitos devem ser contemplados no registro das fotografias?

Como abordado anteriormente, mais importante que colocar em prática o hábito das fotografias é a definição de uma metodologia adequada. Caso seja possível, faça uso de uma câmera profissional para a fotodocumentação.

Antes de começar a tirar as fotos, fale com o paciente e peça que ele assine a autorização de uso da imagem. Armazene-a em local seguro para as futuras consultas e para montar o antes e depois. Levantaremos agora alguns tópicos que exigem atenção para garantir a padronização.

Informações nos arquivos

Antes de entrar no âmbito fotográfico especificamente, é preciso elucidar a necessidade de armazenar as imagens com todos os dados corretos. Isso inclui, por exemplo, informações como diagnóstico do caso, condutas e técnicas utilizadas para tratamento e fotos prévias e posteriores à cirurgia, bem como a data de captura das imagens.

Estúdio fotográfico

Ainda sem entrar na questão das configurações da câmera utilizada, deve-se procurar um ambiente adequado para registrar as fotos. É ideal reservar uma sala no consultório ou clínica que funcione tal qual um estúdio de fotografias, pois, como veremos na sequência, determinados requisitos exigem padronização completa.

Iluminação

O primeiro requisito que precisa ser considerado é a iluminação do local. É importante que isso não seja alterado nas capturas realizadas, uma vez que pode influenciar de modo acentuado positivamente ou negativamente.

Portanto, a melhor maneira de garantir a estabilidade consiste em se valer de uma iluminação artificial. Utilize uma lâmpada apropriada para fotos estéticas, configure-a em um padrão e mantenha-a na mesma posição. Assim, voltando ao tópico anterior, vale ressaltar que o local escolhido não deve permitir a entrada de luz natural, visto que as condições climáticas influenciam bastante nas imagens.

Fundo das fotografias

O fundo da imagem também demanda padronização. Isso não quer dizer que há, necessariamente, uma tonalidade específica para todos os casos. O ideal é que as fotografias dos pacientes sejam mantidas com o mesmo fundo, desde que ele seja neutro e não interfira no resultado. Algumas cores comumente utilizadas são a branca, a preta ou a azul.

Ângulo de captura

Esse requisito é um dos que mais influenciam no resultado da fotografia. Uma modificação mínima permite valorizar ou desvalorizar determinadas características físicas, como sulcos, culotes, papadas etc.

O recurso mais utilizado para anular esse impasse consiste na demarcação de um octógono no chão do local. Cada lado desse polígono será representado por um número e conterá, no momento da foto, os pés do paciente de acordo com as orientações do fotógrafo.

Esse método possibilita a captura das imagens mantendo a angulação e garantindo diferentes posicionamentos para análise dos resultados, como fotos frontais ou em perfil.

Posicionamento da câmera

O posicionamento do dispositivo utilizado para registro das imagens deve ser sempre o mesmo. Isso influencia na distância que ele ficará do paciente e também na altura em relação ao chão.

Uma forma segura de garantir o cumprimento desses requisitos é o uso de um tripé. Assim, são anuladas as interferências causadas pelo posicionamento dos braços segurando a câmera e garante-se parâmetros iguais em todas as fotos.

Faça uma sinalização no chão para fazer a documentação fotográfica sempre com a mesma distância, posicionando o tripé em determinado ponto da sala. Registre por escrito as configurações dos equipamentos usados no dia a dia, pois se um evento inesperado acontecer, você poderá reconfigurar os aparelhos rapidamente.

Paciente

Saindo dos aspectos técnicos relacionados à fotografia, a maneira como o paciente se encontra também precisa seguir um modelo nos registros. Assim, as vestimentas devem ser padronizadas, por meio, por exemplo, do uso de peças íntimas descartáveis tanto para homens quanto para mulheres.

Software de imagem

Um modo de assegurar as configurações da imagem é empregando um software que ofereça recursos fotográficos avançados e permita a comparação por meio de simulações. Essas funcionalidades auxiliam o médico a definir a conduta mais adequada para o caso em parceria com o paciente e suas expectativas.

Em suma, os benefícios proporcionados pelas fotografias envolvem aspectos prévios e posteriores às cirurgias. A utilização de tecnologias possibilita a definição das melhores condutas e técnicas em cada caso, além de resguardar as duas partes diante dos resultados obtidos com o procedimento.

Como você pode observar, a documentação fotográfica é um recurso que beneficia médicos e pacientes. Seguindo as nossas orientações do antes, durante e depois do registro das imagens, as chances de responder por uma ação judicial diminuem. Além disso, esperamos ter elucidado alguns pontos ligados à metodologia utilizada no processo de captação das fotos, bem como as vantagens asseguradas pela prática.

Indicações para reposição de colágeno em pacientes

Fonte: Doctor View

Compartilhe