Beleza madura: como tratar e prevenir 6 sinais de envelhecimento na pele do rosto

Tempo de leitura: 5 minutos

Além de rugas e marcas de expressão, a pele dá outros sinais de envelhecimento com o passar dos anos. O Purepeople conversou com especialistas para descobrir seis deles e também as melhores formas de tratá-los e prevenir.

A beleza madura está cada vez mais em voga e, para cuidar da sua pele, nada melhor do que conhecê-la. Com o passar dos anos, as linhas de expressão e as rugas se tornam um incômodo para muitas mulheres… Mas você sabia que o envelhecimento deixa outros sinais no rosto além delas?

O Purepeople conversou com um time de especialistas para descobrir outros seis pontos de atenção no cuidado facial. Os experts em beleza apontam mais detalhes de cada um deles e também tratamentos mais indicados. Confira a seguir!

PERDA DO VOLUME FACIAL FAVORECE APARECIMENTO DE RUGAS

Com o envelhecimento, é comum perder também os compartimentos de gordura da pele, o que afeta o volume facial. “A perda de gordura na face também leva ao aparecimento de mais rugas, pois a pele não tem capacidade para se retrair quando perde o que está debaixo de si”, detalha o cirurgião plástico Dr. Mário Farinazzo, acrescentando: “As rugas podem aparecer ou ficar ainda mais pronunciadas se já existiam”.

Nesses casos, os preenchedores, segundo o médico, acabam surtindo bons efeitos. “No caso das demarcações mais profundas, quando são muitas, a cirurgia das rugas, ou ritidoplastia, pode trazer mais resultados”, sugere o membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e Chefe do Setor de Rinologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

OLHEIRAS: SAIBA TIPOS E COMO TRATÁ-LOS!

Na área dos olhos, antes mesmo das rugas, as olheiras contribuem para uma expressão mais pesada. “As olheiras podem ser causadas por uma série de motivos, incluindo fatores estruturais, vasculares e pigmentares. Porém, o mais comum é que a alteração seja causada pela soma de mais de um fator, o que é chamado de olheira mista“, diz a dermatologista Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD).

O tratamento delas, então, vai depender da causa da olheira, podendo incluir preenchedores de ácido hialurônico, no caso de olheira estrutural; luz intensa pulsada, ideal para solucionar olheiras vasculares; e lasers, peelings e cremes clareadores, caso o problema seja pigmentar.

FLACIDEZ FACIAL: COMO PREVENIR E CUIDAR?

Esse é sinal tem uma relação direta com a genética e com os hábitos de vida. “Por isso, o médico pode turbinar esses tratamentos por meio da indicação de suplementos, que trarão substratos para maior produção de colágeno”, afirma Dr. Marcelo Sady, Pós-Doutor em Genética e diretor geral da Multigene.

Diante disso, tratamentos como Ultraction 3D, um ultrassom com tecnologia 3D que garante maior efetividade e menor nível de dor, para ajudar a estimular mais colágeno e promover maior firmeza, são mais indicados.

MANCHAS NO ROSTO: ENTENDA OS CUIDADOS!

As manchas podem surgir até em pessoas mais jovens por conta da falta de fotoproteção adequada e “dar” alguns anos a mais. Além do uso diário do protetor solar (conheça aqui o mais indicado para seu tipo de pele!), outro ativo pode ser um aliado poderoso contra elas, o resveratrol mimético.

“Composto pelo trans-resveratrol, forma mais estável e biodisponível do ingrediente, esse ativo cosmético possui múltiplo mecanismo de ação no combate às hiperpigmentações da pele para iluminá-la visivelmente em apenas duas semanas. O resveratrol mimético reduz a síntese de melanina (pigmento que dá cor à pele e é responsável pela formação das manchas) de diferentes formas”, destaca o Dr. Gustavo Saczk, membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.

CICATRIZES DE ACNE: QUAL MELHOR TRATAMENTO?

As cicatrizes de acne podem surgir mesmo após o tratamento adequado das alterações e modificam drasticamente a textura da pele, conferindo ao rosto um aspecto áspero e envelhecido. “As glândulas que originam as espinhas estão na derme profunda, assim como as fibras de colágeno e elastina”, indica Dr. Abdo Salomão, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

“Logo, existe o risco de a acne comprometer essas fibras e, consequentemente, a arquitetura da pele, gerando assim cicatrizes profundas que conferem uma textura irregular ao tecido cutâneo”, acrescenta. Para tratá-las, tecnologias como o Eletroderme, que une a radiofrequência ao microagulhamento robótico, são altamente recomendadas.

“A técnica promove a reestruturação natural das camadas da pele, estimulando a produção de ácido hialurônico, e induz a criação de novos vasos sanguíneos e o aumento da vasodilatação local, o que contribui para maior oxigenação e, consequentemente, nutrição da região tratada”, afirma a Dra. Roberta Padovan, pós-graduada em Dermatologia.

VASINHOS NO ROSTO: SAIBA COMO CUIDAR

Outro indício de envelhecimento facial que atinge boa parte da população são os vasinhos no rosto, que têm o nome técnico de telangiectasias. “A própria coloração das veias e também seu calibre (geralmente são finas) fazem com que dificilmente ocorra uma boa cobertura com maquiagem”, conta a cirurgiã vascular Dra. Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

Além da predisposição genética, maus hábitos como exposição excessiva ao sol e até uso demasiado de peelings químicos podem causar o problema. Para tratar, o indicado é usar o laser Nd Yag 1064 ou luz pulsada. “A luz pulsada é capaz de tratar a grande maioria dos vasinhos de face. Mas o Laser Nd Yag 1064 é o que existe de mais específico, pois são realizados disparos de laser que agem no sangue dentro do vaso, queimando o vaso por dentro, o que leva ao seu fechamento”, explica.

O tratamento apresenta bons resultados, segundo a médica, é feito em média em uma a cinco sessões (dependendo do tipo de lesão) e tem grande nível de segurança, já que a dor é amenizada com uso de aparelhos resfriadores de pele.

“A técnica promove a reestruturação natural das camadas da pele, estimulando a produção de ácido hialurônico, e induz a criação de novos vasos sanguíneos e o aumento da vasodilatação local, o que contribui para maior oxigenação e, consequentemente, nutrição da região tratada”, afirma a Dra. Roberta Padovan, pós-graduada em Dermatologia.

Indicações para reposição de colágeno em pacientes

Fonte: Purepeople

Compartilhe