EFEITOS DO ESTRESSE NA PELE

Tempo de leitura: 1 minuto

Desde 2017 o Brasil conta com mais de 70% da população com sintomas relacionados ao estresse. Quando algo assim começa a se tornar frequente em nossa rotina, passa a ser uma coisa fora do controle e totalmente contínua, afetando, dessa forma, algumas partes de nossa saúde, e uma delas é a pele.

O estresse é capaz de danificar a barreira de proteção formada por água, microbiota e oleosidade natural, e é exatamente ela que nos protege do clima seco e poluição, além das substâncias que estão por trás de irritações ou alergias. Isso tudo acontece, pois, a tensão ativa a superprodução de hormônios e cortisol, que ao lado da adrenalina, entra em contato com os receptores hormonais da pele e favorece o ressecamento, inflamação e até mesmo estimula a produção de sebo, resultado no aparecimento da acne. Além de tudo isso, ainda existem as doenças dermatológicas que podem ser agravadas por conta do estresse, como o vitiligo e a urticária crônica.

Sendo assim, para que exista algo a se fazer para a solução do estresse e os efeitos que ele causa em nossa pele, é preciso analisar tudo com calma e de uma forma complexa. Tudo depende das particularidades, doenças e organismo de cada pessoa. Talvez nem mesmo a rotina de cuidados com a pele passada por um dermatologista seja o suficiente para lidar com esses tipos de doenças.

Cuidar da saúde, como um todo, é o mais importante nessas horas. O tratamento para esses casos inclui terapias de relaxamento, atividade física, sessões de meditação e até mesmo acompanhamento psicológico e psiquiátrico. Mas, a coisa ideal a se fazer é descobrir a origem do estresse e como ele interfere na nossa pele. Existem casos em que uma alimentação desregrada ou mudanças de humor são o gatilho para um desequilíbrio emocional e se torna a porta para que o problema apareça.

mulher com estresse na frete do computador

Compartilhe